No segundo dia, o professor Claudio Bernardo, docente da Universidade Mackenzie iniciou o treinamento sobre crédito e cobrança contextualizando, primeiramente, a importância do crédito para a alavancagem dos negócios de qualquer empresa. Taxa Selic, CDI e a inflação brasileira – que esteve em queda no mês de setembro – foram alguns dos fatores apresentados para construir boas perspectivas para o futuro: a área de crédito vai trabalhar mais. Alguns participantes pareciam empolgados com o conteúdo compartilhado.

Luciane Nogueira, analista financeiro na Ourolux

“A decisão de recusar uma venda por conta da previsão da falta de pagamento é uma decisão estratégica”, disse o professor. A essa altura, ele já abordava a questão do “crédito como negócio”. Ainda segundo o especialista, as áreas de crédito precisam ser proativas na análise de empresas, se antecipando a movimentos e riscos de mercado.

Essa análise se dá por meio da classificação do risco na concessão de crédito, um processo sensível de captura de sinais que envolve a observação dos chamados seis Cs: caráter (intenção de realizar o pagamento), capacidade (gestão), condições (fatores externos), capital, conglomerado e colateral (garantias colaterais).

Helber Guimarães Moreira, assistente de crédito na Aurora Alimentos

Assim como no primeiro dia de evento, a troca de dicas práticas, impressões e conhecimento deu o tom das interações. Nas horas seguintes, os profissionais presentes debateram as diferentes formas de avaliação de cada um desses fatores, além de analisarem, em conjunto, quais deles seriam prioritários nas situações cotidianas.

Enquanto indicava os variados tipos de análise que devem balizar a concessão de crédito, o professor destacou o diferencial estratégico encontrado nos relatórios fornecidos pela CISP, no que diz respeito a permitir que as equipes de Crédito e Cobrança enxerguem de que forma um cliente (ou potencial cliente) está operando nas relações com outros associados.

Mateus Magalhães Teixeira, analista de crédito na J. Macêdo

Seus nomes foram mantidos em sigilo e o objetivo principal do exercício foi solidificar o conhecimento compartilhado. Contando com o estímulo do professor, os analistas observaram os cases e puderam conhecer detalhes cruciais para o estudo da saúde financeira das empresas.

Para balancear o dia intenso de aprendizados, seguiu-se o jantar temático “Churrasco na Laje”. Essa forma especial de finalizar o segundo ciclo de atividades reflete a preocupação da equipe da CISP em oferecer a melhor experiência, inclusive na transição entre um e outro dia de atividades.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s