Com inovações e humanização, a Associação ajuda a construir a riqueza do Brasil

Era 18 de outubro de 1972 quando a Central de Informações São Paulo (CISP) foi oficialmente fundada. A Associação é fruto de uma imensa vontade de um grupo de profissionais de Crédito e Cobrança de grandes empresas, que buscavam melhorias para processos e decisões mais assertivas.

O cenário global era o da crise do petróleo. Em terras brasileiras, vivia-se a ditadura militar. Apesar da inflação baixa e da aceleração do crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) e da industrialização durante o chamado “milagre econômico”, eram tempos complexos para decisões de crédito. Mas isso não intimidou os fundadores.

Ávidos pelas trocas que só a união seria capaz de concretizar, começaram a embrionar o que viria a ser a CISP em encontros no Largo do Café.

Inovação está no DNA da CISP

Esposa do fundador Manolo Exposito, dona Margarida Molnar Exposito conta que o início dos diálogos que levaram à criação da CISP se deu entre o marido e os amigos Rene Petroni  e José Arary Moura Neves. “Fomos a uma pizzaria, em um domingo à noite. As esposas também passaram a se comunicar para ajudar e, aí começou [o que viria a ser a CISP], com três empresas.”

O que parece um simples encontro, na verdade, já mostrava o olhar inovador que permearia todas as ações da CISP: o engajamento de empresas concorrentes em seus segmentos de mercado, algo nunca antes pensando, com foco no desenvolvimento do setor creditício, a partir da compreensão de que os resultados seriam positivos para todas as indústrias.

Cinco décadas depois, o que podemos ver com clareza é que a Associação sempre foi pautada pela inovação: primeiro com o olhar disruptivo, depois, buscando acompanhar os avanços tecnológicos, somando a característica visionária com soluções atualizadas em prol do setor creditício.

Acolhimento e conexão como cultura

E esse clima familiar continuou sendo parte da CISP, como conta o vice-presidente da Associação, Adolfo Pildervasser: “Fazíamos eventos em que nossas famílias podiam ir. Isso permitia criar novos laços. Crédito e Cobrança gera muita pressão. Então, se a gente divide isso, fica mais suave.”

Ainda que, atualmente, os eventos sejam restritos aos associados, essa cultura foi determinante para criar um ambiente acolhedor permanente e que permite conexão entre os associados.

Das papeletas…

Gerente geral da CISP, Joaquim Silva chegou à Associação em 1992 para ajudar a concretizar um plano que tinha como objetivo agregar tecnologia e expandir o número de associados.

“Era absolutamente tudo manual”, disse Joaquim, ao contar que neste período o recurso disponível eram as papeletas – tipo ficha cardex – para cada cliente, recolhidas por office boy e entregues ao representante de Crédito e Cobrança das empresas, que as devolviam à CISP. Para acessar os dados, a associada solicitava e recebia via fax. “A dedicação era intensa para que as informações estivessem disponíveis.”

Aos poucos as evoluções foram acontecendo e o processo passou do papel para os disquetes, que também transitavam por meio de office boy. Mais adiante, havia a troca de arquivos, no entanto, ainda não de forma on-line. “Lembro-me que solicitávamos e recebíamos o arquivo 48h depois”, conta a gerente financeiro da associada Perfetti, Fernanda Lopes.

…à inteligência artificial

Já em 2020, depois de muito estudo, investimento e dedicação, a CISP entregou aos seus associados o que há de mais moderno: a plataforma Maxxi, que representa a tecnologia de ponta a serviço da análise e gestão em Crédito e Cobrança.

Lançado oficialmente no ano seguinte, quando o segundo módulo da plataforma foi colocado à disposição, este ano o Maxxi agregou ainda mais para a assertividade das análises de crédito com a entrega do novo modelo de risco.

A automatização de processos da área de crédito a partir do Maxxi, um recurso de alto custo no mercado, representa um grande avanço para as associadas, que não têm custo adicional para utilizar a plataforma.

O Maxxi foi concebido dentro dos critérios da Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais (LGPD) e a CISP foi homologada pela Serasa Experian e, em fase de homologação, pela Boa Vista Serviços.

E para somar ao Maxxi, outro recurso de alta tecnologia disponível aos associados CISP é a assistente virtual Ágille, que nasceu em 2021. Trata-se de uma inteligência artificial concebida com a tecnologia IBM Watson e atua como uma nova colaboradora da Associação, com atendimento 24 horas, sete dias por semana, podendo responder aos associados sobre diferentes assuntos.

Seguimos unindo gerações

A trajetória iniciada em 1972 materializou uma constante evolução que, hoje, contribui de forma efetiva na tomada de decisões de 191 indústrias associadas, que representam 8% do PIB nacional.

Ao longo desses 50 anos, a CISP faz a diferença ao oferecer serviços de análise de Crédito e Cobrança, além de se dedicar para o crescimento dos profissionais que atuam junto às empresas associadas, acompanhando os avanços em conhecimento, recursos humanos e tecnologia.

Neste jubileu de ouro, celebramos esse legado com emoção e, seguimos, de olho no futuro e unindo gerações!

PartCISP 2022

Quer saber mais? Acesso a seção “50 anos” no site oficial da CISP!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s